Dona Adelícia, seus jardins e sua história

Em 17 de maio de 1935, na comunidade Pedra Grande, em Almenara, nascia Adelícia Amorim Rocha, uma das mais renomadas bordadeiras do Vale do Jequitinhonha. Autodidata, aprendeu o ofício aos 12 anos, quando vivia na Fazenda Monte Santo com a família. Seu pai era vaqueiro e sua mãe, costureira.

Sua casa, simples e humilde, ficava distante da sede da fazenda, mas, sempre que podia, Adelícia a visitava por uma razão muito peculiar: observar os jogos de cama e mesa dos patrões de seu pai, todos bordados à mão. Observando as peças, ela decidiu que queria aprender a bordar. E assim o fez.  

Aos 14 anos, Adelícia mudou-se para Almenara e logo ficou conhecida pela qualidade e diversidade de seus bordados, que retratavam as flores que via nos jogos de cama e mesa dos senhores da fazenda onde cresceu. Com muita dedicação e empenho, aprimorou sua técnica e, sobretudo, a maneira como percebia e representava aquilo que bordava. Começou, então, a bordar enormes jardins, cheios de cores e formas, que ela sabe harmonizar com perfeição, e, sobretudo, histórias e delicadeza. 

Logo Dona Adelícia ficou conhecida na região e seus bordados ficaram famosos. Isso fez com que ela conseguisse complementar a renda da sua família e criasse os nove filhos que teve com seu companheiro José, com quem casou-se quando tinha 18 anos. Inspirados pela natureza, seus bordados são únicos. O mesmo projeto nunca é feito em mais de uma peça, o que deu a ela grande reconhecimento e fez com que seus bordados se espalhassem pelo Brasil e pelo mundo a fora. 

Em 2014, foi a homenageada da terceira edição do projeto “Ação Arte Popular e Contemporânea”,  com a exposição “O Jardim de Adelícia”, realizada no Sesc Palladium, em Belo Horizonte.

Hoje, aos 84 anos, Dona Adelícia vive em Almenara, em uma casa que se transformou num verdadeiro jardim, feito para receber e acolher a quem deseja conhecer seu trabalho. Além de sua arte, Dona Adelícia também é reconhecida pela sua generosidade, vontade de ajudar e de ensinar o outro. “Ensinar a bordar é um grande prazer. Espero que essa arte se multiplique e seja perpetuada através dos tempos. Não é justo que eu desfrute sozinha desse dom com o qual Deus me abençoou. É preciso saber compartilhar”.

Dona Adelícia e seus bordados são motivos de orgulho para o povo de Almenara. Por toda sua delicadeza e esplendor, sua arte, marcada pela sua própria história, marca a história do município, do Vale do Jequitinhonha e de todos aqueles que têm a oportunidade de conhecê-la.

Assessoria de Comunicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s