Dona Graça e sua mania de ter fé na vida e na luta

Alegre, trabalhadora, cheia de vida e desejo de lutar. Assim é Maria da Graça Teixeira Santos, ou Dona Graça, como é chamada, uma guerreira que começou cedo na batalha diária pela sobrevivência.

Natural de Coronel Murta, nasceu em 20 de novembro de 1953. Vivia com os pais e, com eles, aprendeu a trabalhar ainda muito menina.  Casou-se e mudou-se para a Comunidade do Vaiví, onde morava o seu esposo Cândido Dias. Ambos dedicavam-se à comunidade, organizando as famílias, dialogando com a Igreja e com os moradores.

Num dos períodos mais difíceis da nossa história política, juntou-se à luta do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), ajudando na formação e conscientização dos trabalhadores sobre seus direitos e em busca de uma vida melhor para todos.

A convite do Sr. Paulo Dias, ela ingressou na diretoria do STR de Virgem da Lapa no final dos anos 80, com trabalho direcionado às mulheres do campo. Na época, o êxodo rural era muito grande, os maridos iam para o corte de cana em outros estados e deixavam suas mulheres para cuidar de todo o trabalho da roça, da casa e dos filhos. Eram as chamadas viúvas de maridos vivos.

Dona Graça seguiu realizando um trabalho de enfrentamento a essas dificuldades, trazendo as mulheres para discutirem juntas os problemas  e buscarem soluções, fortalecendo umas às outras.

Em 1995, criou a Comissão Municipal de Mulheres Trabalhadoras Rurais do STR e, a partir daí, consolidou-se um grupo de mulheres participativas e sem medo de lutar por seus direitos. À frente da Comissão, Dona Graça realizou um trabalho voltado à saúde das famílias, com programas de alimentação natural, remédios caseiros, busca pelo atendimento diferenciado às mulheres, entre outras demandas.

Junto a outras mulheres, participava dos movimentos sociais no município, demandando recursos para agricultura, hortas comunitárias, barracas para os produtores e uma feira livre organizada. Reivindicava também transporte para os alunos das zonas rurais e a criação da secretaria da mulher ou casa de apoio à mulher.

Sempre muito disposta,  Dona Graça estava presente em todos os movimentos de luta, comandando os  grupos de mulheres. Tanto em Belo Horizonte quanto em Brasília, Dona Graça participou de eventos como o Grito da Terra Brasil, Grito dos Excluídos e Marcha das Margaridas. Travou lutas pela criação do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), pela liberação do salário maternidade rural, pelo fim da violência doméstica, pelo direito à documentação gratuita e a participação da mulher na política, rompendo o preconceito e a intolerância.

Mesmo com tantas barreiras impostas às mulheres, Dona Graça candidatou-se ao cargo de  presidente do STR e, de maneira muito expressiva, foi eleita por outras mulheres que, como ela, lutavam pela garantia de direitos, por mais respeito e dignidade. Aquela não foi apenas uma vitória de Dona Graça, mas de todas as mulheres.

Como presidente, defendeu as famílias agricultoras, buscando projetos e desenvolvimento do setor rural, fortalecendo a produção e geração de renda no campo, com cursos específicos e financiamentos rurais. Quando deixou a presidência do Sindicato, continuou participando de outras atividades e de outras gestões enquanto pode.

Infelizmente, enfrentou uma etapa difícil na vida, que foi a doença e morte do esposo, que faleceu de câncer. Um homem de muita fé, dirigente da comunidade, seu Cândido sempre foi um grande companheiro de luta de Dona Graça. Após a morte do marido, com a saúde debilitada, aos poucos ela foi se afastando do movimento para cuidar de sua saúde. Atualmente, mora na cidade de Ubatuba, estado de São Paulo, com alguns dos filhos e netos.

Dona Graça é um grande exemplo da coragem e da resistência das mulheres dos Vales. Como diz a canção, ela traz mesmo, no corpo e na alma, a marca da fé. Fé na vida e na luta. Sua determinação nos anima a seguir na caminhada e nos ensina que precisamos mesmo ter força, raça, gana, manha, graça e sonho sempre. Sempre.

Assessoria de Comunicação   

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s